Vivendo o Natal como Santo Agostinho

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on email
Jesus Cristo veio ao mundo para nos salvar, e Santo Agostinho tem muito a nos dizer sobre esta graça. Saiba mais no conteúdo que preparamos para você!

Sem Jesus, não há Natal. Ele é o verdadeiro sentido da Festa, da celebração e da alegria! Mas, muitas vezes, o significado da data é deixado de lado pelos presentes e mesas cheias, por isso, hoje viemos mostrar como viver o Natal à luz dos ensinamentos e sermões de Santo Agostinho. 

Foi por amor à humanidade que o Senhor veio até nós. Santo Agostinho retrata esta graça dizendo que o Natal é o dia onde Jesus “passou do grande e infinito dia da eternidade, para o nosso curto dia de tempo” (Sermão 185). 

Pequeno, frágil e de família simples, Jesus veio ao mundo. Sem luxos, pelo contrário, nascido em um estábulo, na pobreza e simplicidade. O Senhor não precisou de riquezas para mostrar o Seu poder e glória.

“Está em uma manjedoura, mas traz em si o mundo. Toma o peito, mas alimenta os anjos. Está envolto em panos, mas nos reveste de imortalidade. É amamentado, mas adorado. Não tem lugar no estábulo, mas constrói para si um templo no coração dos que creem nele” (Santo Agostinho, Sermão 190). 

O Natal é a celebração da misericórdia divina que recai sobre cada um de nós. A encarnação, encarna para nossa Salvação! E isso nos implica corresponder com amor e entrega de vida, confiança nos desígnios d’Ele! Não existe graça maior do que ter sido salvo por aquEle que é o Senhor de todas as coisas. Como pecadores, não merecemos, nem somos dignos de tamanho amor e misericórdia, fomos salvos pela graça, por pura graça divina. 

Os Agostinianos Recoletos vivem a celebração do Natal da forma que Santo Agostinho o fazia: com devoção e amor. É um dia de reflexão e de celebração, de silêncio e de festa. Enfim, é um dia de agradecer e com espírito de gratidão, seguir entregando a vida a Deus, a seu serviço, e à correspondência do seu chamado, que se faz particular a cada pessoa!

Em um de seus sermões, Agostinho reflete sobre a pequenez e grandeza encontrada no Menino Jesus. “Nem Sua grandeza foi diminuída por Sua pequenez, nem Sua pequenez foi superada por Sua grandeza” (Sermão 187). Como pode a Salvação Encarnada ser tão pequena que cabe em uma manjedoura? Como pode um bebê ser o retrato da misericórdia de Deus?

Por você, Deus se fez homem. E o mistério da Encarnação nos revela que, ao mesmo tempo em que Jesus assumia a posição de homem, também era Deus e vice-versa. Como qualquer outra pessoa humana, o Senhor precisava comer, beber, falar, caminhar e realizar tantas outras atividades comuns a todos. Jesus também sentiu tudo: felicidade, tristeza, amor e cansaço. Ele compartilhou das limitações e fraquezas humanas.

Ao mesmo tempo, Ele não perdeu sua divindade ao se tornar homem. Jesus curou inúmeras pessoas, transformou a vida de tantas outras. Jesus fez com que a sociedade acreditasse na vinda do Salvador, vista por meio de sua própria vida. O Senhor, na Terra, continuava sendo Deus. Agostinho resumia esse grande mistério entendendo que o Pai era somente um: o Deus-homem. 

Ainda bebê, Jesus já era a Salvação. Quando menino, Jesus era a Salvação. Na idade adulta, Jesus permaneceu como a Salvação. Foi esta a missão designada a Cristo: ser o Redentor da humanidade. Foi a vinda dele ao mundo que trouxe o homem para perto de Deus novamente. A Sua humildade em corresponder ao chamado do Pai, permitiu a vida eterna de todo o mundo. 

Neste Natal, sejamos humildes como Jesus. É a oportunidade de oferecermos nossa vida, nossos dons e bens como serviço de amor ao Pai. Que na presença dEle, recebamos a vida nova trazida nesta data tão especial.

Todos nós, pois, em unidade de espírito, com pensamentos puros e desejos santos, celebremos o dia do nascimento do Senhor; dia em que a verdade brotou da terra” (Santo Agostinho, Sermão 192). 

Senhor, entre em nossas casas e corações. Renasça dentro de cada um de nós e nos permita sermos melhores à serviço do Reino! Por amor a ti, desejamos ofertar nossas vidas! Da mesma forma que Maria respondeu ao Anjo que lhe trouxe a mensagem da Salvação, pedimos: Faça-se em nós segundo a Tua palavra. Amém. 

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on email
DESTACAMOS

It seems we can't find what you're looking for.

ARTIGOS RELACIONADAS

Aspiras ao grande…

ARCORES 2024 Já haviam colocado meu nome na porta do quarto” Há pouco tempo um amigo visitou a comunidadereligiosa do Leblon, no Rio de Janeiro e me fez pensarsobre as…

COMENTÁRIOS