Emoção e reflexões marcam missa de corpo presente do Frei Romualdo Martinucci

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on email

│Rodolfo Pereira│ A emoção foi o sentimento que marcou a missa de corpo presente do padre Frei Romualdo, Agostiniano Recoleto, que faleceu na tarde de 12 de julho, aos 92 anos de idade. A celebração foi presidida na Igreja São José, nesta terça-feira, às 9h, por Dom Moacir Silva, arcebispo de Ribeirão Preto, e concelebrada pelos padres religiosos da família agostiniana recoleta: Fr. Fábio, Fr. Alcimar, Fr. Rodolfo, Fr. Antônio Benedito, Fr. Ricardo, Fr. Helton, acompanhada pelos religiosos Fr. André e Fr. Marcelo. Além de contar com um grande número de familiares, amigos e paroquianos de Ribeirão, de Franca, de Igarapava, de Olímpia e outras cidades que estiveram presentes para fazer sua homenagem e oração pelo sacerdote que a muitos cativou em vida.

A missa aconteceu na Igreja de São José (Centro, Ribeirão Preto) onde Frei Romualdo passou esses últimos meses, vivendo em comunidade e cuidando de sua saúde.

Na homilia Dom Moacir falou o quanto sua atuação junto aos irmãos religiosos agostinianos recoletos, citou o exemplo na vida religiosa. Recordou a todos e alertou os irmãos no sacerdócio sobre a importância de viver a missão com maior intensidade e fidelidade. Gastando a sua vida pelos irmãos, é isso que o Frei Romualdo realizou ao longo de sua vida. Onde ele passou deixou a sua marca, e até hoje as pessoas o recorda com muito carinho, pois era muito querido entre o povo de Deus. Enfim, respondeu de forma admirável a sua vocação humana e cristã.

Estamos aqui como irmãos no sacerdócio ministerial. A graça sacramental cria uma relação profunda entre nós. A morte de um dos nossos é para nós um apelo para viver o nosso sacerdócio mais intensamente e com maior fidelidade. Nos perguntamos sobre os valores do nosso comportamento e o que realmente evangeliza.

Ao final da missa, Dom Moacir realizou o rito das exéquias, na companhia de todos os padres presentes que rodearam o corpo Fr. Romualdo Martinucci. Após a bênção final, todos os presentes se aproximaram para fazer suas últimas orações e homenagens.

Encerrada, a santa missa, o corpo foi transladado para o Cemitério da Saudade, onde houve uma bênção pelo Fr. Fábio e em seguida aconteceu o sepultamento de nosso irmão no túmulo dos Agostinianos Recoletos, bastante conhecido na cidade devido a “fama” de santidade de Fr. Santos Ramírez que também está enterrado no local.

Recebemos o carinho também de inúmeras pessoas através de nossas Redes Sociais Oficiais, a Noerlene Pagotto escreveu: “A comunidade Santa Rita de Cássia de Castelo – ES, está de luto. Frei Romualdo foi o edealizador de nossa Capela”, ainda escreveu, “saudades”. Também Claudia Alves, de Igarapava comentou no Instagram: “Muito triste, guardarei seus ensinamentos eternamente. A paróquia Santa Rita de Igarapava foi muito abençoada com sua presença, descanse em paz meu querido Frei Romualdo”.

Frei Fábio Nôcal, prior e pároco da Igreja São José compartilhou conosco uma linda mensagem que aqui deixamos um trecho: “Gostava de ouvir a canção do padre Zezinho chamada águia pequena e a ouvia com frequência. Recordo com docilidade os últimos momentos ao receber os visitantes. Tinha prazer em conversar, contar as suas memórias, mostrar fotos e falar de Olímpia a sua terra natal”. Enfim, numa tarde, “ele me chamou no quarto e pediu para ajudá-lo. Fiquei sem entender. E, ele explicou: ‘que eu o ajudasse a prepará-lo para partir”. E, assim, o fez, vá em Paz!

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on email
DESTACAMOS
ARTIGOS RELACIONADAS
COMENTÁRIOS