Tríduo Pascal no momento mais duro da Covid-19 em São Paulo

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on email
Momento de Adoração ao Santíssimo

│William Vinicius│Nos dias 1, 2 e 3 de abril aconteceu em toda a Igreja o Tríduo Pascal, período de abstinência, jejum, recolhimento e, não obstante, alegria e júbilo pela certeza da ressurreição do Senhor. Na Casa de Formação N. Sra. Aparecida, da Ordem dos Agostinianos Recoletos, conhecida na região carinhosamente como “Capelinha” em Franca-SP, foram presididas as celebrações junto aos frades e seminaristas, infelizmente, por causa da situação de pandemia, não foram abertas ao povo; no entanto, os corações de todos os fiéis se fizeram um neste momento de grande provação.

Em 1º de abril aconteceu a Santa Missa da Ceia do Senhor, onde houve a instituição da Eucaristia pelas mãos de Cristo; Jesus se entregou em corpo e sangue, para que estivesse presente até o Fim dos Tempos com a Sua Igreja, deu o exemplo máximo; e, também, o lava-pés aos apóstolos, mostrando uma lição de comunidade e serviço ao povo de Deus, dando-nos modelo perfeito de humildade.

Missa da Ceia do Senhor

Em 2 de abril ocorreu a Celebração da Paixão do Senhor, se fazendo memória do dia em que Cristo foi imolado por toda a humanidade, traído e negado não hesitou em cumprir a vontade do Pai, ainda que isto Lhe causasse a extrema agonia, suportável somente por amor a Deus e aos homens. Derramou sangue e água pela remissão dos pecados que o ser humano cometeu em todos os séculos.

Fr. Ivo aos pés da Cruz

Em 3 de abril a Igreja se levantou com um forte brado para proclamar na Vigília Pascal que o túmulo estava vazio, pois, Aquele que fora entregue pela mão dos ímpios, desceu à morada dos mortos, venceu Satanás e seus anjos, finalmente ressurgiu trazendo a vida para toda a cristandade. Com grande clamor, proclamou-se a boa nova da ressurreição e a luz do sol nascente que despontou no alvorecer da esperança cristã.

Certamente foram dias de muita oração pelo estado no qual se encontra o mundo inteiro, milhões de vítimas da Covid-19 foram colocadas diante do altar pela salvação de sua alma ou pronta recuperação da saúde. Além disso, os postulantes e frades estiveram rezando por todos os paroquianos que não puderam participar das celebrações, para que o Senhor possa cumulá-los de bênçãos e graças.

A luz resplandeceu, o Amor obteve a sua vitória ao retornar da mansão dos mortos glorioso, a centelha de esperança foi acesa no coração da humanidade e a fé em Cristo provou-se não ser vã. Assim sendo, caríssimos irmãos e irmãs, a Casa de Formação Nossa Senhora Aparecida, nossa queridíssima Capelinha, deseja a todos uma feliz e santa páscoa!

Fr. José Maria celebrando a Paixão do Senhor
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on email
DESTACAMOS

FAMÍLIA AGOSTINIANA RECOLETA NO BRASIL PROMOVE LIVE VOCACIONAL

“Todos eles, unânimes, perseveravam em oração e súplicas.” (Atos dos …

A Equipe de Revitalização da Ordem avalia seu trabalho e traça planos para o ano de 2022

Frei  Bruno N. D’Andrea | Roma | A Equipe de …

JAR PORTEL: 18 ANOS DE HISTÓRIA

Mabel Albuquerque – Em meados de 2002, no município de …

ARTÍCULOS RELACIONADOS
COMENTARIOS