Agostinianos Recoletos
  • Home
  • Peru
  • O Prior Geral da Ordem saúda Chota: “Queremos continuar caminhando com este povo”
Notícias Peru Prior Geral

O Prior Geral da Ordem saúda Chota: “Queremos continuar caminhando com este povo”

Lembrem o esforço evangelizador da Ordem e o trabalho atual que os frades do Peru realizam

Nicolás Vigo | Nos dias 25 e 26 de setembro serão encerradas as atividades desenvolvidas durante este ano para comemorar o 75º aniversário da chegada dos agostinianos recoletos a Chota. Por isso, o prior geral da Ordem dos Agostinianos Recoletos, Frei Miguel Miró, dirigiu-se aos religiosos do Peru e da cidade de Chota.

Lembrar-se do passado com gratidão

O prior geral agradece a Deus por ter feito chegar os missionários a Chota e semear a “Palavra de Deus”: “Em nome da Ordem agradeço ao Senhor por cada um dos religiosos que juntamente com o povo de Deus semeou a Palavra, cultivou-a e pediu chuva e a graça do céu para que a fé crescesse nesta querida terra andina de Chota. Lembramos o passado com gratidão. Agradecemos a Deus e também ao povo de Chota ».

Os agostinianos recoletos iniciaram sua missão em Cajamarca em 1940. Chegaram a Cutervo e a Chota em 1945. Há 75 anos. A este respeito, o prior geral sublinha: «Os nossos missionários percorreram os caminhos e as aldeias para evangelizar, anunciaram Cristo com a sua pregação, com os sacramentos, com a catequese e com o testemunho de vida comunitária; Aprenderam a sua cultura, reconheceram os seus valores e doaram-se a este povo na pastoral e na promoção humana e social; estavam com os pobres e visitavam os enfermos, queriam estar ao serviço de todos.

Os agostinianos recoletos trabalharam para esta cidade

O prior geral da Ordem recorda o esforço dos primeiros missionários que chegaram à cidade a cavalo e se adaptaram ao lugar e iniciaram uma obra evangelizadora e social que continua com sucesso até hoje: “Quando o Padre chegava a uma cidade era um acontecimento que alegrava os corações e os enchia de vida e esperança. Chota faz parte da nossa vida e da nossa História. Lembramos com gratidão os bispos agostinianos recoletos: Dom Florentino Armas, Dom José Arana, Dom Emiliano Cisneros, Dom Carmelo Martínez e o atual Bispo, Dom Fortunato Pablo; todos se preocuparam em promover a comunhão, organizar a Prelazia e promover as vocações diocesanas ”, afirma.

Também destaca a abundância de vocações que a Prelazia ofereceu ao clero diocesano e à Ordem: “O Senhor abençoou a Prelatura com muitos sacerdotes e também abençoou a Ordem com vocações Chotan. Todos juntos formamos a Igreja.

O agostiniano recoleto também pede perdão porque às vezes o trabalho não foi tão diligente quanto se esperava e, às vezes, não se manifestou a alegria que o Evangelho deveria comunicar: “Não foi um caminho fácil, peço desculpas pelas vezes que não demos testemunho como missionários e porque não pudemos mostrar, em algumas ocasiões, a alegria do Evangelho ”, esclarece.

Evangelização e trabalho social

A Ordem Agostiniana sempre acompanhou a evangelização com a promoção humana. Um binomio que tem ajudado a aliviar a fome do evangelho e do pão material. Sobre isso afirma o prior geral: «Evangelizar é rezar juntos, é amar e servir verdadeiramente. Agradecemos as obras sociais que todos pudemos realizar para ajudar os mais necessitados em tantos lugares da Prelazia. Unimos esforços, com projetos e bolsas de diversas organizações, com a ONG Haren Alde e hoje com a Rede Solidária Agostiniano Recoleta ARCORES »

Da mesma forma, os religiosos fazem referência especial ao serviço evangelizador e promotor da cultura que a Rádio Santa Mônica faz: «Agradecemos a Rádio Santa Mônica, porque as suas ondas fazem com que a Palavra de Deus e os valores do Evangelho cheguem às famílias, através de informação, cultura e entretenimento. A Rádio Santa Mônica é um instrumento de comunhão e a comunhão torna-se missão e serviço ».

Olhar para o futuro juntos

Da mesma forma, o Superior maior dos Frades Agostinianos Recoletos, que vive em Roma, convida os Chotanos a cuidar da casa comum e a promover o bem comum e a solidariedade: “Não só os convido a recordar o passado, mas os encorajo a olhar para o futuro com esperança. Todos vocês estão acostumados a contemplar a montanha e sabem procurar os caminhos para subir, juntos vamos abrir novos caminhos de esperança, justiça e paz para este povo. Cuidemos da Casa comum da Criação, procuremos o bem comum, vivendo com dignidade, com transparência e com atitude de serviço, sem excluir ninguém ».

Da mesma forma, garante que os agostinianos recoletos amam Chota e continuarão a apoiá-los na pastoral: «Agostinianos recoletos, continuamos convosco na comunidade da paróquia Santa Mónica, com ARCORES e com a Rádio Santa Mónica. Queremos continuar caminhando com este povo e unir nossas vozes e nossos corações em louvor e ação de graças ao Senhor.

Além disso, lembra que devido à pandemia, não pôde visitar a província, como planejado: “Estava programado para visitar as comunidades do Peru durante o mês de setembro, mas ficou com um desejo, devido a Covid-19. Ficamos quase três meses confinados em Maracaibo (Venezuela) e agora estamos em Roma ».

E, por fim, exorta a pedir a proteção de Deus e de São José, ex-padroeiro da província que incluía o Peru: “Nestes tempos de incerteza e pandemia, que São José nos proteja e nos ajude. Que o Senhor os abençoe com a sua paz »

Noticias Relacionadas

El agustino recoleto Daniel Medina juró como decano de la Facultad de Derecho Canónico de la UCA

Augusto Uriarte

Profissão de Votos Simples – Profesión de Votos Simples

Sergio Sambl

Visita de renovación a la comunidad de Guadalajara

Vanesa Pagiola

Fray Antonio Carrón capacitó al personal de los colegios agustino recoletos de Lima

Nicolás Vigo

Fray Antonio Carrón visitó las obras de ARCORES PERÚ

Nicolás Vigo

Vive la iJornada 19 formativa vía Twitter

admin

Deja un comentario