O Prior Geral da Ordem saúda Chota: “Queremos continuar caminhando com este povo”

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on email

Lembrem o esforço evangelizador da Ordem e o trabalho atual que os frades do Peru realizam

Nicolás Vigo | Nos dias 25 e 26 de setembro serão encerradas as atividades desenvolvidas durante este ano para comemorar o 75º aniversário da chegada dos agostinianos recoletos a Chota. Por isso, o prior geral da Ordem dos Agostinianos Recoletos, Frei Miguel Miró, dirigiu-se aos religiosos do Peru e da cidade de Chota.

Lembrar-se do passado com gratidão

O prior geral agradece a Deus por ter feito chegar os missionários a Chota e semear a “Palavra de Deus”: “Em nome da Ordem agradeço ao Senhor por cada um dos religiosos que juntamente com o povo de Deus semeou a Palavra, cultivou-a e pediu chuva e a graça do céu para que a fé crescesse nesta querida terra andina de Chota. Lembramos o passado com gratidão. Agradecemos a Deus e também ao povo de Chota ».

Os agostinianos recoletos iniciaram sua missão em Cajamarca em 1940. Chegaram a Cutervo e a Chota em 1945. Há 75 anos. A este respeito, o prior geral sublinha: «Os nossos missionários percorreram os caminhos e as aldeias para evangelizar, anunciaram Cristo com a sua pregação, com os sacramentos, com a catequese e com o testemunho de vida comunitária; Aprenderam a sua cultura, reconheceram os seus valores e doaram-se a este povo na pastoral e na promoção humana e social; estavam com os pobres e visitavam os enfermos, queriam estar ao serviço de todos.

Os agostinianos recoletos trabalharam para esta cidade

O prior geral da Ordem recorda o esforço dos primeiros missionários que chegaram à cidade a cavalo e se adaptaram ao lugar e iniciaram uma obra evangelizadora e social que continua com sucesso até hoje: “Quando o Padre chegava a uma cidade era um acontecimento que alegrava os corações e os enchia de vida e esperança. Chota faz parte da nossa vida e da nossa História. Lembramos com gratidão os bispos agostinianos recoletos: Dom Florentino Armas, Dom José Arana, Dom Emiliano Cisneros, Dom Carmelo Martínez e o atual Bispo, Dom Fortunato Pablo; todos se preocuparam em promover a comunhão, organizar a Prelazia e promover as vocações diocesanas ”, afirma.

Também destaca a abundância de vocações que a Prelazia ofereceu ao clero diocesano e à Ordem: “O Senhor abençoou a Prelatura com muitos sacerdotes e também abençoou a Ordem com vocações Chotan. Todos juntos formamos a Igreja.

O agostiniano recoleto também pede perdão porque às vezes o trabalho não foi tão diligente quanto se esperava e, às vezes, não se manifestou a alegria que o Evangelho deveria comunicar: “Não foi um caminho fácil, peço desculpas pelas vezes que não demos testemunho como missionários e porque não pudemos mostrar, em algumas ocasiões, a alegria do Evangelho ”, esclarece.

Evangelização e trabalho social

A Ordem Agostiniana sempre acompanhou a evangelização com a promoção humana. Um binomio que tem ajudado a aliviar a fome do evangelho e do pão material. Sobre isso afirma o prior geral: «Evangelizar é rezar juntos, é amar e servir verdadeiramente. Agradecemos as obras sociais que todos pudemos realizar para ajudar os mais necessitados em tantos lugares da Prelazia. Unimos esforços, com projetos e bolsas de diversas organizações, com a ONG Haren Alde e hoje com a Rede Solidária Agostiniano Recoleta ARCORES »

Da mesma forma, os religiosos fazem referência especial ao serviço evangelizador e promotor da cultura que a Rádio Santa Mônica faz: «Agradecemos a Rádio Santa Mônica, porque as suas ondas fazem com que a Palavra de Deus e os valores do Evangelho cheguem às famílias, através de informação, cultura e entretenimento. A Rádio Santa Mônica é um instrumento de comunhão e a comunhão torna-se missão e serviço ».

Olhar para o futuro juntos

Da mesma forma, o Superior maior dos Frades Agostinianos Recoletos, que vive em Roma, convida os Chotanos a cuidar da casa comum e a promover o bem comum e a solidariedade: “Não só os convido a recordar o passado, mas os encorajo a olhar para o futuro com esperança. Todos vocês estão acostumados a contemplar a montanha e sabem procurar os caminhos para subir, juntos vamos abrir novos caminhos de esperança, justiça e paz para este povo. Cuidemos da Casa comum da Criação, procuremos o bem comum, vivendo com dignidade, com transparência e com atitude de serviço, sem excluir ninguém ».

Da mesma forma, garante que os agostinianos recoletos amam Chota e continuarão a apoiá-los na pastoral: «Agostinianos recoletos, continuamos convosco na comunidade da paróquia Santa Mónica, com ARCORES e com a Rádio Santa Mónica. Queremos continuar caminhando com este povo e unir nossas vozes e nossos corações em louvor e ação de graças ao Senhor.

Além disso, lembra que devido à pandemia, não pôde visitar a província, como planejado: “Estava programado para visitar as comunidades do Peru durante o mês de setembro, mas ficou com um desejo, devido a Covid-19. Ficamos quase três meses confinados em Maracaibo (Venezuela) e agora estamos em Roma ».

E, por fim, exorta a pedir a proteção de Deus e de São José, ex-padroeiro da província que incluía o Peru: “Nestes tempos de incerteza e pandemia, que São José nos proteja e nos ajude. Que o Senhor os abençoe com a sua paz »

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on email
DESTACAMOS

CSA-Leblon: Dia Vocacional Missionário para o Ensino Médio

Pastoral CSA- Leblon – Os alunos do Ensino Médio participaram …

20 de outubro: Santa Madalena de Nagasaki

Padroeira da Fraternidade Secular Agostiniana Recoleta Frei Jose Roberto Mason …

Cinco ideias do Congresso sobre a Vida e a Dignidade Humana

O Centro de Espiritualidade Agostiniano Recoleta da Andaluzia realizou, de …

ARTIGOS RELACIONADAS
COMENTÁRIOS