Agostinianos Recoletos
Notícias Peru Reportagens

A estufa nos Andes peruanos

Um trabalho colaborativo internacional

Nicolás Vigo│ Durante alguns meses, o nome da pequena cidade de Llasavilca (Cajamarca, Peru) esteve nas negociações de várias empresas espanholas com a ARCORES peruana. O motivo foi encontrar o melhor lugar para construir uma estufa.

Envolveu trabalho em equipe entre a Fundação ITER, a Universidade Politécnica de Madri e a ARCORES. O beneficiário seria Fermín Monteza, um camponês proprietário da terra de Llasavilca.

O início do trabalho demorou um pouco. E foi feito em etapas. Frei Ángel Herrán, presidente da ARCORES Peru, nos conta: «Em 30 de abril de 2019, Paco Alonso, professor da Universidade Politécnica de Madri, chegou da Espanha para verificar no local se deve ou não instalar a estufa. Dado o terreno que apresentamos e a garantia de ARCORES, a proposta lhe parecia boa e ele a apresentou na Espanha. E foi aceito pela Fundação ITER ».

Depois vieram as duas Lauras, engenheiras, estudantes da Universidade Politécnica de Madri: Laura López Cortijo e Laura López Herreros para dirigir o trabalho e instalar a infraestrutura da estufa.

Laura López Herreros e Laura López Cortijo

As duas engenheiras fizeram um trabalho magnífico. Elas não apenas se dedicaram à estufa, mas conseguiram se fazer amadas pelos moradores da cidade de Llasavilca. Da mesma forma, sem negligenciar seu trabalho, elas colaboraram com os frades da comunidade de Santa Mônica de Chota.

A obra foi concluída em fevereiro de 2020 e foi entregue imediatamente a Fermín Monteza. Ele e sua família foram treinados para continuar administrando a estufa. Os pimentões e tomates foram cultivados, esperando para amadurecer e oferecer seus primeiros frutos.

Fermín Monteza é beneficiado com a construção da estufa

A inauguração foi feita no estilo peruano: a benção, a quebra da garrafa de champanhe, o discurso de agradecimento e a comida. A bênção foi dada pelo bispo de Chota, Dom Fortunato, que foi apoiado pela comunidade de frades agostinianos de Chota e, é claro, um duas Lauras, representando o sucesso do trabalho em equipe.

Hoje a estufa já mostra seus frutos. Deliciosos tomates e pimentões que são apreciados pelos moradores da cidade de Llasavilca e Chota.

O dia de abertura da estufa em Llasavilca

Noticias Relacionadas

Falecimento de Frei Cassiano

Vanesa Pagiola

O vigário do Peru: O coronavírus “COVID-19 está nos mostrando que dependemos uns dos outros”

Nicolás Vigo

“Tia” Zélia Carrijo recebe o título de irmã Geral da Ordem

Rodolfo Pereira

Crianças apadrinhadas pela ARCORES Chota recebem alimentação

Sergio Sambl

Descanse em paz “meu santo”

Vanesa Pagiola

Visita de Renovação à comunidade de San Millán de la Cogolla

Vanesa Pagiola

Deja un comentario